">

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

A Praia Roubada (Coastliners)

Autora: Joanne Harris

Sinopse
"Encerradas numa pequena ilha na costa do Atlântico, duas comunidades vivem de costas voltadas entre si. Enquanto La Houssiniére se transformou numa cidade próspera devido ao turismo que a única praia de toda a ilha lhe proporciona, Les Salants permaneceu esquecida no tempo, habitada apenas por pescadores e marinheiros que, tal como a vida que levam, são rudes e amargos. Mado nasceu em Les Salants, mas cedo partiu com a mãe para Paris. Após a morte desta, a jovem decide voltar à ilha da sua infância e reencontrar o pai. Mas o regresso ao passado não é fácil. A ilha, constantemente varrida por um vento inclemente, encerra em si todo um universo de mistérios e contradições, inacessíveis a uma "desconhecida". Mas, estranhamente, tal parece não ter acontecido com Flynn, um jovem irlandês que, embora recém-chegado, é alvo da afeição e da confiança de todos, até do pai de Mado, um homem cujo coração está fechado para o mundo e que se mantém teimosamente recolhido num silêncio sepulcral. Face a uma comunidade fechada, supersticiosa e apostada em manter acesos ódios ancestrais, Mado decide desafiar a sorte e as marés e consegue vencer o orgulho e as crenças dos habitantes de Les Salants. Juntos, vão tentar mudar o futuro da povoação e o seu próprio destino. Para Mado, esta vai ser uma incursão no amor e o (re)encontro com os valores familiares e comunitários. Poderá um castelo de areia sobreviver às marés?"

Impressões
É uma história encantadora, que vai para além do que é óbvio e que nos transporta para cenários com "sabor" a verão.  Entre os habitantes das duas ilhas existem grandes rivalidades e ódios de estimação, o que conduz a comportamentos menos dignos. Mas, dentro de cada ilha, também encontramos os mesmos problemas, principalmente em Les Salants, um comunidade muito encerrada sobre si mesma. Contudo, Mado (a protagonista) consegue lidar com estas dificuldades e "salvar" a ilha e os seus habitantes da miséria, apatia e ostracismo a que, em parte, se tinham votado. 
Mais uma fez, Joanne Harris fez magia!

domingo, 18 de novembro de 2012

A Casa de Gaian (The House of Gaian)

Autora: Anne Bishop

Sinopse
"Começou como uma caça às bruxas, mas o plano do Inquisidor-Mor para eliminar todos os vestígios do poder feminino que há no mundo preveem agora a aniquilação dos barões de Sylvalan que se lhe opõem ... e a destruição do berço de toda a magia: a Serra da Mãe.
Humanos e feiticeiras formam uma aliança difícil com os Fae para fazerem frente a esse inimigo terrível. No entanto, mesmo unidos, não têm força suficiente para resistirem aos exércitos mobilizados pela Inquisição. Procuram por isso o apoio do último aliado ao qual podem recorrer: a Casa de Gaian. As feiticeiras que vivem isoladas na Serra da Mãe têm poder suficiente para criarem um mundo ... ou para o destruírem.
O antigo lema das bruxas: "Não fareis o mal" arrisca-se a ser esquecido por força de uma necessidade mais premente: a necessidade de sobreviverem."

Impressões
Também gostei deste terceiro volume e, por incrível que pareça (depois do que aconteceu com os dois primeiros) não detetei mais do que uns dois ou três erros/ausência de palavras!
Li-o de uma forma quase compulsiva, embora tenha levado duas semanas, já que o tempo é um pouco escasso :(
Aparecem novas heroínas e antigos vilões têm o devido castigo, embora, pelo caminho, façam mal a muita gente. Uma das personagens tem um final imerecido, mas que foge à banalidade do que é reservado aos outros.  Fiquei com a impressão de que a autora deixou muitas "portas abertas" para esta trilogia virar uma "quadrilogia" ehehehe....
E agora, "Feliz com este encontro, com felicidades me despeço e feliz seja o reencontro"! 

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Shopaholic & Baby

Autora: Sophie Kinsella

Sinopse
"Becky`s life is blooming. She`s working at London`s newest fashion store. The look, house-hunting with husband Luke (her secret wish is a Shoe Room)... and she`s pregnant! She couldn`t be more overjoyed - especially since discovering that shopping cures morning sickness. Everything has got to be perfect for her baby: from the designer nursery ... to the latest, coolest pram... to the celebrity, must-have obstetrician.
But when the celebrity obstetrician turns out to be her husband Luke`s glamorous, intellectual ex-girlfriend, Becky`s perfect world starts to crumble".

Impressões
A Becky voltou a atacar... com mais situações hilariantes! Este é um dos livros que eu comprei em "segunda-mão",  porque não o  encontrava em lado nenhum (esgotado e sem previsões de reedição). A leitura não fluiu tão bem como eu gostaria, devido ao facto de ser em inglês. Mas, com alguma paciência e o dicionário de Inglês-Português ao lado, lá consegui ler e divertir-me com esta história. E, pelos vistos, está a caminho outra shopaholic!

terça-feira, 13 de novembro de 2012

Noites de Chuva e Estrelas (Nights of Rain and Stars)

Autora: Maeve Binchy
Editora: Círculo de Leitores

Sinopse
" Seis desconhecidos, sem nada em comum a não ser a necessidade de fugir de casa, conhecem-se numa taberna na aldeia grega de Aghia Anna. Fiona é uma jovem enfermeira irlandesa cuja família se recusa a deixá-la viver a sua vida. O académico americano Thomas sente falta do filho e receia que a ex-mulher o afaste dele. Elsa é alemã e abandonou a carreira de apresentadora de televisão, mas alguém do seu passado não quer deixá-la partir. O tímido inglês David está determinado a enfrentar o pai dominador. Aos quatro junta-se Andreas, o dono da taberna, cheio de saudades do filho que partiu para a América nove anos antes, e Vonni, uma irlandesa há muito radicada na região. Eis a história de um verão que vê nascer amizades e amores entre seis pessoas que a vida juntou sob a chuva e as estrelas das noites gregas..."

Impressões
Esta é a história de várias pessoas que fugiram, literalmente, de casa e das suas rotinas e que encontraram abrigo nesta aldeia, que funciona como local de cura. Pouco a pouco vai sendo construída uma teia de amizades entre o grupo dos forasteiros e alguns habitantes da aldeia, também eles com os seus segredos. 

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Deixem-me sonhar!

O calendário diz que ainda é cedo mas eu decidi que está na hora. Depois de tratar das decorações natalícias (só a árvore de Natal e o presépio, também pequeno porque o espaço é limitado) alinhei as minhas aquisições dos últimos meses. É verdade, entre feiras do livro, saldos e livros em segunda mão, tenho esta montanha mágica (catorze livros)!!!! Mal posso esperar para os começar a ler!!!

domingo, 11 de novembro de 2012

Solstício de Inverno (Winter Solstice)

Autora: Rosamunde Pilcher
Editora: Círculo de Leitores

Sinopse
"Ao abandonar Londres por uma bonita aldeia do Hampshire, Elfrida Phipps sente-se em casa. Tem uma pequena vivenda, o fiel cão Horace, e a amizade dos vizinhos Blundell - em especial a de Oscar - para garantir que os seus dias incluem companhia e independência. Mas uma pequena tragédia imprevista perturba a tranquilidade de Elfrida. Ela refugia-se numa casa na Escócia, que se torna um íman para vários vadios. Parece a receita certa para a calamidade. Mas o grupo acaba por tornar-se maior do que a soma das suas partes e Elfrida vê-se no centro de um Natal bastante mágico.".

Impressões
Adorei este livro ou ele não tivesse sido escrito pela inesquecível Rosamunde Pilcher, a autora do clássico "Os apanhadores de conchas"! 
"Solstício de Inverno" é uma história deliciosa, repleta de personagens fortes e de lugares encantadores. A descrição das paisagens é tão rica e detalhada que é como se estivéssemos a ver um quadro (a capa desta edição captou o espírito do livro) e, confesso, despertou em mim uma vontade irresistível de viajar por Inglaterra e Escócia (era bem bom, era...).
O mais encantador é o facto de a personagem principal, Elfrida, ser uma senhora na casa dos sessenta, atriz reformada, que decide mudar o rumo da sua vida. E a sua vida vai mesmo mudar!!! De Londres até à aldeia localizada no Hampshire e, mais tarde, até à Escócia, Elfrida vai fazendo novas (improváveis) amizades e mostrando que estamos sempre a tempo de tentar ser felizes!

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Treinando a emoção para ser feliz

Sempre tive um certo preconceito em relação aos chamados "livros de auto-ajuda" pelo simples facto de achar que não ajudam ninguém, a não ser quem os comercializa.  Afinal, se as "fórmulas" apresentadas resultassem, quase todos nós teríamos um negócio de sucesso, uma auto-estima fantástica e não haveria gente a sofrer de problemas psiquiátricos! Mas foi, precisamente o facto de conviver com muita gente deprimida e também deprimente (desengane-se quem acha que a doença só afeta o doente) que me fez recordar o livro "Treinando a emoção para ser feliz" de Augusto Cury. Gostei do título e gostei de algumas das ideias expressas,  ideias essas que vou partilhar neste espaço virtual.

" O único lugar que deveria ser conservado continuamente jovem é a emoção. Entretanto, a tendência natural da emoção humana, da meninice à velhice, é uma escala ascendente de entristecimento."

Isto parece-me  normal já que, à medida que vamos envelhecendo, vão-se somando as responsabilidades e as perdas enquanto os ganhos aparentam ser nulos. 
"Se é um adulto, nunca se esqueça de conservar a simplicidade e a capacidade de sonhar. Se é um idoso, nunca deixe a sua emoção ser controlada pelas suas preocupações. Os problemas nunca desaparecerão das nossas vidas, mas a juventude da emoção, sim".

Fácil de dizer, difícil de fazer, mas não impossível! Sem dúvida alguma que exige muita disciplina... nestas questões sempre tive a plena convicção de que treinar a mente é uma tarefa tão árdua quanto treinar o corpo. E também temos momentos em que somos vencidos pela preguiça e tentados a seguir o caminho mais fácil ou, como eu digo, a "abraçar a desgraça". Mas, acreditem, torna-nos mais fortes, tal como o exercício físico nos torna mais ágeis e resistentes. Leva tempo? Leva pois! É um processo lento e gradual, cheio de avanços e retrocessos...mas o mesmo sucede quando tentamos reduzir aquelas gordurinhas na cintura... não é ao fim de um , dois ou até quatro meses de ginásio que atingimos esse objetivo. 

"Que não tenha medo das longas noites que a vida lhe trará. Que possa aguardar sempre o amanhecer, pois o Sol não deixa de brilhar para os amigos da paciência nem para os amantes da sabedoria".

"Tudo o que promove a sua paz interior e a sua felicidade deve ser levado em alta conta".


quarta-feira, 7 de novembro de 2012

O Castelo de Vidro (The Glass Castle)

Autora: Jeannette Walls

Sinopse
"Durante duas décadas, Jeannette Walls, uma conhecida jornalista nova-iorquina, bonita, brilhante e bem sucedida, escondera as suas raízes. Crescera com pais cujos ideais e inconformismo foram ao mesmo tempo uma bênção e uma maldição para eles e para os filhos. No princípio viviam como nómadas, mudando de uma cidade para a outra, habitando velhos armazéns abandonados ou acampando nas montanhas. 
Rex, um homem brilhante e carismático, despertava a imaginação dos filhos ensinando-lhes física, geologia e, acima de tudo, a encarar a vida sem medos, enquanto fazia elaborados planos para construir um "castelo de vidro" onde todos viveriam felizes. Isto quando estava sóbrio, o que nem sempre acontecia. A mãe, que pintava e escrevia, não suportava a rotina diária e intitulava-se a si própria "viciada em excitação". Cozinhar uma refeição que seria consumida num quarto de hora estava fora de questão quando podia pintar um quadro que duraria para sempre. Jeannette, as duas irmãs e o irmão tinham de sobreviver sozinhos, tentando arranjar comida, limpando a casa e encorajando os pais a trabalhar enquanto se amparavam mutuamente e procuravam dar alguma normalidade à vida errática a que eram forçados."

Impressões
Esta história é avassaladora! É dolorosamente real! No entanto, é contada sem dramatismo e sem autocomiseração. Fala de miséria e de desespero, mas também fala de coragem e de perseverança ... e de escolhas! A escolha de viver como sem-abrigo e a escolha de não se deixar vencer por uma infância e adolescência difíceis (não era esta a palavra que procurava, mas enfim...). É claro que tem "cenas" comoventes, como aquela em que o pai lhe oferece uma estrela do céu por não ter dinheiro para lhe comprar um presente. Mas estes momentos compensarão todos os anos de negligência a que a autora e os irmãos foram sujeitos? A verdade, é que os pais eram felizes vivendo como viviam e gostavam muito dos filhos... 
Recomendo!!!!!!

terça-feira, 6 de novembro de 2012

Ema (Emma)

Autora: Jane Austen

Sinopse
"Ema é uma herdeira rica, inteligente e bela. Optimista, consciente da sua superioridade, segura de si mesma, fiel respeitadora das "conveniências" - enfim, o tipo acabado da "verdadeira senhora" -, passa o tempo a combinar casamentos "convenientes" entre amigos e protegidos.
Um dia, sem arranjos prévios, ela própria é pedida em casamento por Mr. Knightley. Ema não assume um compromisso, mas não o desencoraja, debatendo-se com um drama interior: o pretendente é amado por uma das suas melhores amigas, a qual Ema deseja ver feliz e "convenientemente" casada. No íntimo, porém, tem um sentimento de aversão ao casamento de Harriet com Knightley e não pelas questões de conveniência que tanto respeita: é que ela própria ama Knightley.
Ema cede finalmente a um amor que tem razões mais fortes do que a própria razão."

Impressões
Jane Austen é uma das minhas escritoras favoritas de todos os tempos. As suas personagens são, quase sempre, mulheres de forte personalidade que, de uma forma ou de outra, se destacam na sociedade da época. 
Este livro foi publicado, pela primeira vez, em 1815! Por isso, é bastante interessante ver como é que Jane Austen faz uso de "armas" como a ironia e o humor para, no fundo, criticar a sociedade inglesa e expor a sua hipocrisia. 
"Ema" é um romance delicioso, daqueles que apetece ler vezes sem conta e que nos fazem sentir em paz. A protagonista, Ema, não é mais (a meu ver) do que uma jovem ligeiramente (bem, talvez muito) snob e muito, muito entediada, que se diverte a emparelhar pessoas. No entanto, revela-se muito perspicaz na avaliação de caráter que faz das outras pessoa. O seu pretendente, Mr. Knightley, é paciente, sensato e sempre adorável no trato com os outros... é mesmo perfeito (só mesmo num romance de Jane Austen)! Recomendo!!!!!!!

domingo, 4 de novembro de 2012

Mulher procura homem impotente para relacionamento sério (Suche impotenten mann furs leben)

Autora: Gaby Hauptmann
Editora: Círculo de Leitores

Sinopse
"Carmen Legg é uma mulher bonita, sexy, bem sucedida nos negócios e os homens acham-na irresistível. Assediam-na constantemente, pedem sexo no primeiro encontro. Carmen resolve colocar um anúncio num jornal para encontrar o companheiro perfeito: um homem inteligente mas impotente. Recebe inúmeras respostas, e quando se apaixona pelo lindíssimo David, Laura, a sua melhor amiga, faz-lhe notar que ela não é tão feliz com a sua opção como julgara: «Querias um homem impotente e conseguiste o homem impotente dos teus sonhos e agora queres transformá-lo num super-homem potente»."

Impressões
Acho que foi o primeiro livro com um registo de comédia que li (tirando os livros do Tom Sharpe) e adorei! É muito divertido! Está repleto de situações irónicas e absolutamente hilariantes! No entanto, "a brincar a brincar" lá se vão dizendo umas verdades...

sábado, 3 de novembro de 2012

O homem encantador (The Charming Man)

Autora: Marian Keyes
Editora: Contraponto

Sinopse
"Paddy de Courcy é um importante e encantador político irlandês, o "John F. Kennedy Jr. de Dublin". O seu charme e carisma conquistaram o país e a imprensa, mas a notícia do seu casamento vai revolucionar a vida social de Dublin e, sobretudo, a vida de quatro mulheres.
Lola quase desmaia: Paddy era seu namorado... achava ela. Grace, uma jornalista que conheceu Paddy há muito tempo, mas que ainda se lembra bem dele, parte em busca da verdade seguindo Lola, que decide curar as suas feridas longe da cidade. Marnie, a irmã de Grace, também conhece bem o charmoso Paddy, o seu primeiro amor - que ela trata desesperadamente de esquecer. E Alicia, a rapariga com quem Paddy vai casar? Ela parece ser a mulher perfeita para um político conceituado como ele, mas...será que Alicia sabe realmente quem é este homem tão encantador?"

Impressões
À primeira vista, parece ser um daqueles livros hilariantes, ao estilo de Sophia Kinsella... mas não é. Isto é, tem situações hilariantes, mas é, sobretudo, um livro que fala de violência, traição, mau caráter e tantas outras coisas más, no mundo da política e também no do jornalismo. O que me irritou quando li este livro, foi a facilidade com que um só indivíduo reduziu a cinzas as vidas de tantas pessoas e também o facto dessas pessoas o desculpabilizarem! Irra! Felizmente, no final, houve uma reviravolta que me apaziguou... Vale a pena ler!

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Princesas em Manhattan (Principesse a Manhattan)

Autora: Elisa Puricelli Guerra

Sinopse
"Manhattan é um lugar especial onde as bruxas são esteticistas, os ogres são detectives com um faro excepcional, as fadas - madrinhas criam modelos de alta-costura e as agências de emprego oferecem óptimos empregos a princesas, meias-irmãs e madrastas. Certo dia, Olívia, de onze anos, entra no quarto da sua ama e descobre posters de sapos colados nas paredes e uma colecção de recortes de jornais sobre príncipes casadoiros... Olívia tem uma fada-madrinha, mas esta perdeu a memória e já não se lembra dos dons que lhe concedeu à nascença! Como se não bastasse, O Grande Livro dos Nomes e dos Dons, onde as fadas-madrinhas registam os dons dos afilhados, foi roubado e, se não for recuperado dentro de três dias , desaparecerá para sempre! Olívia tem de o encontrar para obter resposta à questão que a atormenta: ela é uma princesa ou não?".

Impressões
Comprei este livro, com a intenção de o oferecer a uma prima pequenina que gosta muito de ler... e vou fazê-lo! Mas, primeiro, tive que fazer o "teste de qualidade" eheheh... Que história deliciosa! A capa do livro dá uma bela antevisão do estilo de escrita! Divertido!!!!!!
Entretanto, não há margem para dúvidas de que o Outono está aí!
Adoro esta estação! Tempo de diospiros e de castanhas assadas! Tempo de leituras e chá quentinho! Tempo de bolinhos caseiros e telenovelas pirosas... Tempo de ser feliz! :)