">

sábado, 28 de dezembro de 2013

Ano Novo

Todos os anos, por esta altura, surge a euforia do "reveillon", a par das reflexões sobre o ano que vai ficando para trás. Durante algumas horas, as pessoas tentam acreditar que a "virada" de ano significa também uma "virada", para melhor, nas suas vidas.
 Eu não ligo a esta data, mas já formulei as minhas resoluções para 2014... coisas objetivas e que dependem, sobretudo, de mim. Há situações das quais, pelos mais diversos motivos, não podemos escapar, mas podemos aprender a relativizá-las (é difícil, muito difícil, mas consegue-se), usando uma percentagem maior da nossa energia naquilo que nos faz sentir bem. Eu, pela minha parte, vou tentar seguir o lema: "Já que aqui estou, mais vale viver!" 
Assim, desejo que em 2014 sejamos perspicazes, sábios e determinados o suficiente para desfrutarmos desta viagem.
Boas leituras!!!!


sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

Coisas que adoro!

Aqui está uma ótima sugestão para presentear alguém: uma cesta de inverno (que é uma caixa de cartão reaproveitada e que me vai dar um jeitão)! Adorei!!!!! Gostei sobretudo destes itens, por serem de produção caseira: azeite e sal aromatizados (delicious!) e biscoitos de canela (já cumpriram o seu destino, mas estavam mesmo mhamham... nem deu para fotografar). A acompanhar, um chá (passe a publicidade) que eu ainda não tinha experimentado (no inverno, não dispenso a minha chávena tamanho XL). 
 Na cesta encontrei também, além de um "saco de água quente" (mesmo bom para estes dias de frio) e de umas pantufas fofinhas, dois livros (pois claro) e esta delícia: um caderninho para cada estação do ano! hum... será que têm agendas?
Escusado será dizer que vou aproveitar esta ideia! 
Obrigada família!

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Um Comércio Respeitável (A Respectable Trade)

Sinopse
"1787. Bristol é uma cidade em franco crescimento, uma cidade onde o poder atrai os que estão dispostos a correr risicos. Josiah Cole, um homem de negócios que se dedica ao comércio de escravos, decide arriscar tudo para fazer parte da comunidade que detém o poder na cidade. No entanto, para isso, Cole vai precisar de capital e de uma esposa bem relacionada que lhe abra as portas necessárias. Casar com Frances Scott é uma solução conveniente para ambas as partes. Ao trocar as suas relações sociais pela proteção de Cole, Frances descobre que a sua vida e riqueza dependem do comércio respeitável do açúcar, rum e escravos.
Entretanto, Mehuru, um conselheiro do rei de Ioruba, em África, é capturado, vendido e enviado para Bristol, onde será educado nos padrões ocidentais por Frances, por quem, inexoravelmente, se irá apaixonar."

Impressões
Mais uma vez, senti-me muito grata por ter nascido na Europa do século XX e não na época obscura em que a ação decorre. Pelo menos, nalgumas coisas, as pessoas evoluíram... embora não tanto como se poderia supor. 
A escravatura, nas suas várias vertentes, é o tema dominante... ou será a desmedida ambição das pessoas? Enfim, ao ler esta história fiquei a pensar que é muito injusto que os mais corruptos, aqueles que despojam os outros da sua dignidade, sejam precisamente aqueles que têm uma vida mais confortável e livre de grandes preocupações e que ainda têm o desplante de ditar regras sobre a vida dos demais (qualquer semelhança com a atualidade não é pura coincidência).  

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Os meus Presépios!

Tenho quatro presépios em casa! Quatro! Todos eles representações diferentes de uma das famílias mais famosas da História da Humanidade! O de barro, faz parte da decoração durante todo o ano. Os outros, fazem a sua aparição desde meados de Novembro até 7 de Janeiro. Adoro!


sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

Ler Devagar...

Este é um belo exemplo de como é possível aproveitar antigas instalações industriais  em benefício da comunidade. 
Os livros estão distribuídos por dois pisos, cobrindo (quase totalmente) as paredes. Do teto, pendem "bonecos" (como aquele que se avista lá ao fundo) que tornam o ambiente mais acolhedor. 
Quem também quiser alimentar o corpo, tem à sua disposição duas cafetarias, uma das quais se pode ver nesta foto. 
Mais um simpático anfitrião!
Se quiser encontrar livros que não estejam na moda, é aqui que deverá procurar. Na minha opinião, esta livraria dá um novo alento a quem adora ler e quer procurar algo diferente daquilo que é comercializado. 
Estas instalações são também utilizadas para exposições, concertos, teatro, etc...
Vale a pena!

quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

Resultado do sorteio!

Agora só precisamos do endereço para procedermos ao envio do book (envie a mesma para o email do blog: doidaporlivross@gmail.com).

Boas leituras!

terça-feira, 10 de dezembro de 2013

... ainda um doce pecado!

Adorei este ambiente! Tudo bastante antigo e, aparentemente, pouco cuidado (os bancos com ferrugem, a parede de tijolo a esfarelar-se, etc) ... e depois o contraste, o bolo que detém o título do "Melhor" é servido com todo o requinte! E sim, esta é a mesa em torno da qual as pessoas vão degustando esse doce pecado. Reparem no pormenor da Chaleira-vaso... e na carteira escolar lá atrás e...
Não é um verdadeiro encanto?
Em cima do balcão, está este livro, aberto no mês de Dezembro (aparentemente, a página muda quando muda o mês). 

E então, já sabem onde fica?

Um doce pecado...

... e foi isso mesmo que eu fiz! Simplesmente delicioso!!!!!!

Quem é que é capaz de adivinhar em que local estas fotos foram tiradas?

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Por aqui já é Natal!

Numa parceria com o Pai Natal, o "DoidaPorLivros" irá oferecer este belo livro...
Para se habilitar, terá apenas que completar a frase seguinte: 
"Na época natalícia  gosto de (re)ler ..." 
No meu caso, por exemplo, gosto de ler livros da Agatha Christie ou então, os "Contos de Natal" do Charles Dickens... manias...

Além disso, tem que ser seguidor(a) do blog e morar em Portugal (Continente ou Ilhas). 

O resultado do sorteio será divulgado no dia 12 de Dezembro!

domingo, 1 de dezembro de 2013

"Um susto de livro!" Já chegou! Já chegou!

Esta fofinha veio alegrar o meu cantinho de leitura. Pela expressão, parece estar a ler uma daquelas histórias que nos fazem ter medo de adormecer com a luz apagada.  Está sentada numa estante cheia de pormenores fantásticos. 
Se tiver curiosidade, consulte o Fantasilab (http://fantasilab.blogspot.pt/2013/12/um-susto-de-livro.html ).


quinta-feira, 14 de novembro de 2013

Lembra de mim? (Remember me?)

Sinopse
"Lexi desperta após um acidente de carro, pensando que está em 2004, que tem 25 anos, dentes tortos e um namoro desastroso. Mas, para sua surpresa, ela descobre que está em 2007, tem 28 anos, é chefe do seu departamento e o seu sorriso é perfeito. E é casada com Eric, um lindo milionário!
Ela não pode acreditar na sorte que teve. Sobretudo quando vê o deslumbrante apartamento onde mora. E se convence de que terá um casamento maravilhoso assim que tiver tempo para conviver novamente com o marido. Solícito, ele escreve um "Manual do casamento", com instruções dos mínimos detalhes para tornar as coisas mais fáceis.
Mas à medida que ela descobre mais e mais sobre a nova Lexi, nota problemas graves na sua vida perfeita. As suas melhores amigas odeiam-na, um rival quer o seu emprego e Eric não lhe desperta nenhum sentimento. E, para completar, o homem que é o braço direito do marido faz-lhe uma revelação bombástica que talvez seja a única esperança de recuperar a memória."

Impressões
Mais um livrinho vindo diretamente do Brasil, já que, por estas bandas, não há. E assim passei umas boas horas de boa disposição. Embora a história seja aquilo a que Kinsella já nos habituou, tem também um toque sarcástico no que diz respeito aos tempos atuais.  A brincar, a brincar, lá vai dizendo algumas verdades!

sábado, 9 de novembro de 2013

Cleo: A história real de uma gatinha que salvou uma família!

Sinopse
"Helen estava na casa de uma amiga quando recebeu a notícia: Sam tinha acabado de morrer. (...) O mundo de Helen Brown começou a ruir. Noites sem dormir, pensamentos suicidas, uma depressão profunda; enquanto, à sua volta, a família se deixava levar pelo desespero, pelas discussões, pela tristeza infinita de perder um ente querido. 
Até que um dia bateram à porta. Era uma vizinha, trazia ao colo um gato ainda bebé. Helen já nem se lembrava. Um mês antes tinha ido com os filhos ver uma ninhada, e prometera a Sam que lhe daria a gatinha mais pequena. E ali estava ela, uma impertinente bola de pêlo preto. O seu primeiro impulso foi rejeitar de imediato o pequeno intruso. Mas então viu Rob, o seu outro filho, a acariciar o bichano. E pela primeira vez, em muito tempo, viu-o sorrir... Cleo tinha chegado a casa."

Impressões
Pois é, Cleo tinha chegado a casa! E tinha chegado no momento certo. Depois da morte de Sam (o filho mais velho), Helen e a família perderam-se no seu imenso desgosto. A presença de Cleo trouxe-lhes um novo alento e, de acordo com Helen, a gatinha parecia saber sempre quando alguém precisava de conforto e companhia. Além disso, Rob afirmava que Cleo lhe "contava" coisas em sonhos (por exemplo, que descendia de uma longa linhagem de gatas curandeiras, que o iria ajudar...). 
Se acredito nisto? Não sei, mas gosto de pensar que existem coisas mais interessantes neste mundo (ou noutro qualquer) do que aquelas que os meus sentidos me dão a conhecer.

domingo, 3 de novembro de 2013

A reconexão (The Reconnection)

Sinopse

" Porque chamou o Dr. Eric Pearl a atenção dos médicos e investigadores mais conceituados do mundo? (...) Este livro conta-lhe a viagem do Dr. Pearl, desde a descoberta dos poderes extraordinários de cura à merecida reputação que adquiriu por ser um instrumento de revelação deste processo ao mundo(...)"

Impressões

Bem, quando me falaram da história deste médico quiropata, veio-me logo à lembrança um livro que li há muitos, muitos anos e que me impressionou (há livros assim, não há?): "Mãos Milagrosas" de Konsalik, que retratava uma rapariga que possuía o dom de cura, acabando por sucumbir devido a isso mesmo). À primeira vista, a diferença entre os dois, é que o primeiro é uma biografia/manual e o segundo ficção. Se lermos este livro como uma história como tantas outras, tentando colocar de lado as nossas próprias crenças e formatação pessoal, individual e social a que estamos sujeitos desde que nascemos, deparamo-nos com uma escrita despretensiosa, sincera e humorista sobre o seu próprio percurso, dúvidas e busca de respostas. A teoria defendida pelo 
Dr. Eric é apresentada aos leitores de forma ligeira e sem forçar a sua aceitabilidade, apesar de o autor não  duvidar que a mesma será aceite, mesmo pelos mais céticos!!!Será mesmo assim?! O melhor mesmo é ler o livro e tirar as suas próprias conclusões!

Sites que pode visitar:
energiareconetiva.wix.com/energiareconetiva
http://www.thereconnection.com/

quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Feliz Dia das Bruxinhas!

Já comprou um susto de livro?
Feliz dia das bruxas a todos os nossos seguidores, amigos, familiares e apoiantes!! Continuem a visitar-nos, vamos ter surpresas em breve, contamos com a vossa participação!!!! 

UHAHHAHHAHAHHAHAHHAHHAHAHHAHHAHAHAHHAA

domingo, 27 de outubro de 2013

Halloween

Buuu!!!!!!!! Tenham medo! Tenham muito medo!!!!!!!!!!!
O "dia das bruxas" está a chegar e, embora seja uma tradição adotada, há muita gente a alinhar nestes festejos. 
Pois eu, do que gosto mesmo, é de ver um bom filme de mistério (de preferência do mestre Alfred Hitchcock... mesmo que seja pela centésima vez), acompanhado de gomas (com baixas calorias como é evidente, eheheh) ou então reler as minhas passagens preferidas dos livros do Harry Potter. Foi uma coleção que me cativou desde o primeiro parágrafo (dos filmes não gostei muito) e que li de uma forma quase compulsiva. 
E agora, vou ali comprar um amuleto, porque no creo en brujas pero que las hay las hay!

sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Doida por Livros no Facebook (Crazy for books on Facebook)

Já sabe que também nos pode seguir através do Facebook? Se ainda não nos descobriu, basta aceder à página através deste link:


Comentem, deêm o vosso testemunho, partilhem as vossas leituras connosco :)



Um livro é um amigo.

Música no blog (#3)

video
Aqui fica uma das minhas músicas favoritas no momento!

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Música no blog (#2)


video
Bem sei que é marketing, mas achei lindo! A música, a coreografia, o ambiente... enfim, tudo!

domingo, 13 de outubro de 2013

As mulheres de Summerset Abbey (Summerset Abbey)


Sinopse
"1913. Três jovens procuram encontrar o rumo para o seu futuro. Mas não será fácil para nenhuma delas. Vão ter de lutar pelas suas aspirações entre as regras explícitas e implícitas da sociedade e os ecos distantes de uma guerra anunciada."

Impressões
Só quando terminei o livro é que percebi que fazia parte de uma trilogia! E eu que tinha prometido a mim mesma que só voltaria a ler trilogias, quadrilogias e todas as outras "gias", quando estivesse tudo editado aqui em Portugal. Assim, lá terei que esperar séculos até ao lançamento dos outros livros... até lá, já me esqueci do enredo, das personagens e de tudo o resto. Comprei o livro, influenciada sobretudo, pelo facto da capa e a sinopse me fazerem recordar da série televisiva "Downton Abbey". A ação decorre na mesma época histórica e centra-se na vida de três jovens aristocratas, criadas de forma pouco tradicional para a sua posição social. No entanto, devido a uma tragédia, acabam a viver no "mundo dos privilegiados", embora desempenhando papéis diferentes. Rowena  e Victoria Buxton, irmãs de sangue, 
integram-se naturalmente neste novo ambiente e descobrem (algo chocadas) que gostam das mordomias a que não davam muita importância anteriormente. Prudence Tate, que afinal era "apenas" a filha da governanta das meninas Buxton, fica dividida entre o mundo dos aristocratas (em que foi criada e em que se sente bem) e o mundo dos criados, posição que lhe atribuem. 
Apesar das tradições serem fortes, bem como o sistema de separação de classes, nota-se que a mudança (catalisada pela Primeira Guerra Mundial) está em curso.

domingo, 6 de outubro de 2013

A Minha Pequena Livraria (The Little Bookstore of Big Stone Gap)

Sinopse
"Wendy e o marido, Jack, sempre ambicionaram ter uma livraria, por isso, quando trocaram os exigentes empregos por uma vida mais simples numa cidade mineira no interior dos Estados Unidos, aproveitaram uma inesperada oportunidade de perseguir esse sonho. Os obstáculos eram grandes: a economia estava em recessão, a cidade era pequena e praticamente sem indústria e havia ainda que enfrentar o aumento do consumo de livros eletrónicos. Além do mais, Wendy e Jack não tinham qualquer experiência de gestão de uma livraria.
Contra todas as probabilidades, mas com muita determinação, otimismo, perseverança e um amor incondicional pelos livros, mais do que estabelecer um negócio, o casal consegue criar uma comunidade em torno da sua livraria."

Impressões
Quando comecei a ler este livro, a minha vontade foi demitir-me do emprego que me paga as contas, tal como a Wendy e o Jack fizeram, e fazer algo que me faça feliz. Uma livraria de livros em segunda mão e, ainda por cima, num edifício cheio de carácter, encaixa perfeitamente naquilo que me faria superfeliz. No entanto, à medida que fui avançando na leitura, percebi que os sonhos podem transformar-se rapidamente em pesadelos... a menos que consigamos alimentar-nos de ar e não nos preocupemos com outras coisas triviais como abrigo, aquecimento, etc. 
Wendy é muito realista quando descreve as provações que ela, o marido e os seus funcionários (dois cães e dois gatos) passaram durante um par de anos, até conseguirem afastar-se alguns milímetros do limiar da pobreza. E, mesmo assim, só o conseguiram porque Wendy arranjou outro emprego para conseguir ter acesso a um seguro de Saúde e poder equilibrar as finanças.  
Pouco a pouco, vão conseguindo estabelecer laços afetivos com a comunidade local, transformando-se a livraria numa espécie de "ponto de encontro" para todo o tipo de atividades recreativas (noites de tricot, clube de escrita,  serões de poesia, música, etc). Além do mais, cada cliente tem um atendimento personalizado. Além da receção feita pelos funcionários de quatro patas, ainda são recebidos com chá ou café, bolinhos e simpatia, tudo grátis! Algumas pessoas aparecem apenas para ver os livros e sentir a magia do local, outros para desabafar ou combater a solidão... enfim, seja qual for o motivo, a verdade é que existe um fluxo contínuo de energia que mantém pessoas, animais e livros felizes! Pois, tal como Wendy diz, "Talvez a melhor coisa que os livreiros fazem pelo mundo não é vender histórias às pessoas, mas escutar as histórias das pessoas."
Gostei muito deste livro! Identifiquei-me com os motivos que levaram Wendy a sentir-se sufocada naquilo que ela apelidou "Poço das Serpentes" e também com as razões que, apesar de tudo, a fizeram continuar (durante algum tempo). Levou-me a tomar consciência de muitas coisas... quando fazemos uma coisa sempre desejando que essa coisa termine rapidamente, não podemos ser felizes...isto vai-nos corroendo por dentro, suga as nossas energias e destrói a nossa capacidade de sonhar... No entanto, também não conseguimos ser felizes se vivermos sempre angustiados sem saber se teremos dinheiro para pagar as coisas mais básicas. É complicado? Não, é simples! Tem que haver equilíbrio entre o trabalho que garante a nossa sobrevivência e o resto. Foi isso que me ensinaram todos aqueles sociólogos e economistas cujas obras estudei e que me encheram de esperança. Teríamos uma sociedade mais saudável a todos os níveis (agora pergunto-me se isso será do interesse de quem manda... se estivermos demasiado ocupados a labutar, não teremos energia para questionar as transformações que nos são impostas). Achava eu que, volvidos tantos anos, aquilo que estava no papel seria concretizado. Afinal, estamos a regredir... 
Bem, este livro fez-me mesmo pensar! Venham mais!


sábado, 28 de setembro de 2013

Adivinha o que estou a ler! (#1)

O livro que me encanta neste momento, tem no início esta frase fantástica:

"Quando se vende um livro a uma pessoa, não se vende apenas trezentos e cinquenta gramas de papel, tinta e cola - vende-se uma vida nova. Amor e amizade e humor e navios no mar à noite - um livro, um livro à séria, contém todo o céu e a terra."

domingo, 22 de setembro de 2013

Filmes/Séries: Paulette

Acabei agora mesmo de ver este filme e ainda me doem os maxilares de tanto rir! Paulette é uma senhora já de uma "certa idade", mas muito empreendedora e bastante racista. Mora num bairro outrora bem frequentado e agora poiso de traficantes de droga e de todo o tipo de marginais. Farta de viver na miséria, ela resolve ser revendedora de haxixe. Curiosamente, é muito bem sucedida neste negócio... o único problema é a inveja que causa aos outros dealers. Depois de alguns reveses e de muitas cenas absolutamente hilariantes, Paulette (que era uma muito afamada pasteleira) usa os seus talentos na confeção de bolinhos especiais. O resto... bem, o resto só vendo! Recomendo! O filme ideal para combater a neura típica de um domingo à noite.

quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Sangue Final (Dead Ever After)

Sinopse
"Há segredos na cidade de Bons Temps, segredos que ameaçam aqueles que estão mais próximos de Sookie - e que poderão despedaçar-lhe o coração...
Sookie Stackhouse não pensa duas vezes antes de recusar o pedido da sua antiga colega Arlene quando esta pede que lhe devolva o seu lugar no Merlotte`s. Afinal, Arlene tentou matá-la. O seu relacionamento com Eric Northman, porém, não é tão claro. Juntamente com os seus vampiros, ele mantém a distância... e um silêncio gélido. E, quando Sookie descobre porquê, sente-se devastada. É então que um homicídio chocante abala Bons Temps e Sookie é presa por esse crime.
Mas as provas são débeis e sai sob fiança. Quando começa a investigar o homicídio, descobre que o que passa por verdade em Bons Temps é apenas uma mentira conveniente."

Impressões
E assim chegou ao fim esta saga! O último livro levou tanto tempo a ser editado, que eu já já não me lembrava muito bem da história. Gostei de o ler, mas confesso que esta "onda vampiresca" passou e, por isso, já não fiquei tão entusiasmada. Quando alinhei todos os   livrinhos para a foto, lembrei-me que descobri esta autora há uns quatro anos atrás e que, nessa altura, devorava estes books. Mesmo assim, foi divertido reencontrar estas personagens e os seus problemas. O final acho que não surpreende ninguém.

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

A menina na Falésia (The Girl On The Cliff)

Sinopse
 "Grania Ryan tem em Nova Iorque a vida com que sempre sonhou. Tudo é perfeito até ao dia em que o seu desejo mais íntimo é brutalmente estilhaçado. Arrasada, Grania decide voltar à Irlanda e aos braços da sua adorada família. E é aqui, à beira de uma falésia, que conhece Aurora Lisle, a menina que vai mudar profundamente a sua vida. A ligação entre ambas é imediata e profunda. Pouco a pouco, Grania descobre que as histórias das suas duas famílias estão estranha e intrinsecamente ligadas...
De um agridoce romance na Londres do tempo da grande guerra a uma relação tempestuosa na Nova Iorque contemporânea; da devoção a uma criança terna e carente a memórias esquecidas de um irmão perdido, o passado e o presente das famílias Ryan e Lisle estão unidos há um século. Cem longos anos de equívocos e segredos, paixões e ódios... Apenas a intuição e a coragem de Aurora poderão quebrar o feitiço e vencer as barreiras que o passado ergueu."

Impressões
Já tinha "deitado o olho" a este livro há algum tempo, mas só depois de ter lido "Uma espia no meu passado" desta mesma autora, é que me decidi a comprá-lo. Como sempre, o que mais me entusiasmou foi a narração dos acontecimentos do passado e não a vida da suposta protagonista (será?), Grania Ryan ( várias vezes tive  vontade de lhe gritar para desligar o "complicómetro").  Também achei que autora exagerou na dose de drama (não era preciso ... afinal não é uma telenovela mexicana dos anos oitenta). 
Por outro lado, fiquei encantada com a Aurora e a sua filosofia de vida. Gostei sobretudo da forma como ela se relaciona com todas as criaturas, fossem elas terrenas ou não. Isso introduziu um toque q.b de magia. Tive pena que tudo tivesse terminado da forma como terminou mas, pensando bem, foi um desfecho poético. 
Gostaria de ler outros livros desta autora, mas não encontrei mais nenhum à venda aqui em Portugal.

sábado, 7 de setembro de 2013

Segredo oculto em águas turvas "Outono"

Sinopse
"Chove torrencialmente sobre Skogså, a relíquia medieval nos arredores de Linköping, e as grandes gotas caem pesadamente sobre o corpo que flutua nas águas do fosso que rodeia o castelo. O advogado Jerry Petersson, o novo e rico proprietário, conhecido pelo seu espírito impulsivo e irascível, nunca mais resolverá novos casos. 
Chamada a investigar o crime, Malin Fors suspeita dos Fågelsjö, uma família aristocrática que, por problemas financeiros, foi forçada a vender a Jerry Petersson a propriedade há séculos na família. Mas seria isso motivo suficiente para um homicídio? Ou será que por detrás dos muitos milhões, das obras de arte valiosas, dos fatos caros, e do sucesso nos negócios, Jerry Petersson não era quem parecia? "

Impressões
O que dizer deste livro? Brutal! Chocante! Já esperava que assim fosse uma vez que os policiais nórdicos que tenho lido são muito crús! Até já me disseram que os outros livros deste autor são bem piores, entenda-se muito mais chocantes. Mas acho que não estava preparada para isto (e ainda tenho um outro ebook dele, correspondente a outra estação do ano, para ler...). Não são os crimes em si que me abalam mas sim a tristeza, a depressão, a decadência em que todas as personagens parecem permanentemente mergulhadas. Eu que até gostava de visitar a Suécia (com esta economia, provavelmente numa outra vida) perdi a vontade de o fazer... é que parece tudo muito miserável, muito cinzento... 
Levei algum tempo a ser "agarrada" pela história e isso também não ajudou. Achei monótona e repetitiva a descrição dos problemas (auto-flagelação?) da inspetora Malin, embora pareça ser ela a mais inteligente, mas não a mais esperta (como uma personagem diz) do seu grupo de inspetores. Ao longo da narrativa, aparecem relatos feitos pelos mortos (aqueles que foram assassinados) o que ajuda a criar um certo clima de mistério. A juntar a isto temos um tempo inclemente, com muita chuva, granizo, frio e poucas horas de luminosidade natural (como é que aquelas pobres almas aguentam? Não admira que depois se ponham a escrever livros destes...)
Agora, tenho que ganhar coragem para ler o próximo!

quarta-feira, 4 de setembro de 2013

A imaginação hiperativa de Olivia Joules (Olivia Joules and the overactive imagination)

Sinopse
"Olivia é uma jornalista free-lancer que abandonou o verdadeiro nome, Rachel Pixley, no momento em que decidiu "esquecer" o seu passado infeliz - orfã na adolescência; deixada pelo namorado, que afinal era homossexual, no princípio da idade adulta - e assumir-se como uma rapariga desprendida e independente face aos homens. Um dia, Barry (o "patrão" do Sunday Times) - que a critica por ter uma imaginação hiperactiva - envia-a para Miami para cobrir uma reunião social onde se encontram pessoas ligadas ao mundo do cinema. A partir daqui começa a aventura... Entre viagens, jantares, mergulhos em águas onde passeiam terroristas, tubarões e corpos de passageiros despedaçados, Olivia descobre que, afinal, Pierre (um milionário pretensamente francês que tenta seduzi-la) é árabe e está ligado à Al Qaeda. Correndo perigos vários, esta heroína do século XXI consegue escapar ilesa."

Impressões
Lembram-se do "O Diário de Bridget Jones"? Pois bem, este livro, escrito pela mesma autora, segue uma linha humorística similar.  É uma história divertida, capaz de nos deixar bem humorados mesmo num dia cinzento. Talvez as aventuras da nossa heroína sejam um bocado extravagantes (a sério?), mas ela consegue sair-se bem em todas as situações e ainda manter uma aspecto impecável, tal como convém a uma Mata Hari dos tempos modernos. 

segunda-feira, 2 de setembro de 2013

Redes Sociais de.... Livros

Aí há tempos "tropecei" no que pretendem ser Bibliotecas Virtuais interativas, ou seja,  com troca de impressões entre leitores. Até agora descobri duas do Brasil e uma da América:



Denominam-de de Redes Sociais de Livros. E, como tal, o registo  é simples, rápido, à distância de um click, ou seja, através de botão "login usando o Facebook", que pode ser considerado como uma vantagem para uns e como uma desvantagem para outros. A boa noticia é que a partilha automática de resenhas na rede social é opcional.  Agora é explorar ....

Para quando uma Portuguesa??

sábado, 31 de agosto de 2013

Quando ler causa sofrimento!

No outro dia, cheguei a casa com os braços e as costas a queixarem-se. E tudo porque não consegui encontrar uma posição confortável para ler na praia. Deitada ou sentada, não consigo apoiar as costas e os braços de forma a não esforçar demasiado os músculos. Nem nas espreguiçadeiras consigo estar bem porque não tenho onde apoiar os bracitos (além do mais, também não é bom para o "migalheiro"). É verdade que já experimentei umas quantas cadeiras de praia, mas sem grande sucesso. No entanto, esta última   (até teve direito a foto) parece ser uma boa "cadeira-de-leitura-na- praia-e-também-no-jardim-ao pé-de-casa". O único problema é o facto de ser mais uma coisa a transportar para a praia...

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Doida por agendas!!!!!!!

Sou totalmente viciada em agendas! Foi esta a conclusão a que cheguei depois de ter descoberto que, só para este ano, tenho quatro agendas! E para quê? Nem eu sei bem. E recuso-me a aceitar as análises que os psicólogos de plantão adoram fazer. Gosto, porque gosto. Ainda não encontrei a agenda perfeita que, na minha opinião, tem que combinar funcionalidade com "lindeza".  No entanto, para bem da arrumação cá em casa e da minha carteira, vou tentar conter-me.
Já tentei usar a agenda do telemóvel mas, não é a mesma coisa...

Psiuu... agora que ninguém está a ouvir, sabem onde é que posso encontrar agendas fofinhas?

segunda-feira, 26 de agosto de 2013

LIVRE (wild - A Journey from Lost to Found)

Sinopse
" Aos 26 anos, Cheryl Strayed tinha perdido tudo - o casamento, a família, a estabilidade profissional. Sentia-se à deriva no mundo e a sua existência aproximava-se perigosamente do ponto de não-retorno. Sem nada a perder, Cheryl tomou a decisão mais impetuosa da sua vida - embrenhar-se sozinha na natureza selvagem, percorrendo a pé, durante três meses, mil e setecentos quilómetros do Pacific Crest Trail, desde o deserto de Mojave, ao longo da Califórnia e do Oregon, até ao estado de Washington. Sem qualquer experiência neste tipo de aventura, com excesso de bagagem e com umas botas apertadas - é assim que Cheryl empreende esta viagem violentíssima em termos físicos e psicológicos mas profundamente redentora, através da paisagem inóspita do desespero até às paragens mais tranquilas de um renovado sentido do eu."

Impressões
Que loucura esta viagem! Percorrer uma distância tão grande, a pé e sozinha! Ainda por cima, a mochila e as botas escolhidas não foram as mais adequadas. E, só para complicar mais um bocadinho, Cheryl nunca tinha dinheiro suficiente para repor os mantimentos! Fez-me muito mais impressão a descrição do sofrimento físico (presente durante toda a viagem) do que as dúvidas existenciais que a atormentaram quase todo o período da caminhada. Apesar de encontrar muitos caminhantes no PCT, Cheryl preferia caminhar sozinha e, dado os problemas que a conduziram aquele ponto, compreende-se bem porquê. O mais interessante é que a autora é bastante realista em relação à "bagagem" que foi adquirindo durante a viagem.
Fica aqui o filme promocional do livro.

sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Música no blog!

Não resisti a partilhar este vídeo que me enviaram. Gostei bastante!

Sabor a verão!

Adoro ler durante o dia e, se for ao ar livre, melhor ainda! Como (praticamente) só nas férias tenho essa disponibilidade, aproveito todos os momentos. Tão bom, ler um livro entre banhos de mar e não ter hora para terminar!

terça-feira, 20 de agosto de 2013

Petiscos que vão bem com livros! (# 2)

Parece delicioso e estava delicioso!
Inicialmente, a minha intenção era pedir apenas uma garrafa de água para ir bebericando enquanto lia (e poder desfrutar da esplanada por uma quantia módica)... mas, ao ver a ementa, não resisti à tentação! E ainda bem, porque soube-me às mil maravilhas e até o resto dia ficou mais docinho!

domingo, 18 de agosto de 2013

Desejos do Coração (Heartwishes)

Sinopse
"Gemma Ranford quer tanto obter o emprego oferecido para catalogar os documentos de uma das famílias mais antigas de Edilean, a família Frazier, que está disposta a lutar por ele. Fascinada por História e desesperada por terminar a sua dissertação, Gemma acredita que aqueles papéis lhe oferecerão novas informações essenciais para imprimirem novo fôlego à sua investigação. O que ela não espera encontrar são as repetidas referências à Pedra dos Desejos do Coração, um talismã mágico que, reza a lenda, concederá desejos a quem detenha o apelido Frazier. Se algo tão poderoso caísse nas mãos erradas, toda a família poderia ficar em perigo - mas, à semelhança da maioria das pessoas, Gemma considera que não passará de um mito. (...)"

Impressões
Tive muita dificuldade em ler este livro. Achei a história muito enfadonha, só mesmo no final é que conseguiu captar o meu interesse. Gostei da sinopse, embora tenha achado pirosa a tal "Pedra dos Desejos do Coração", mas até mesmo esta ideia foi pouco explorada. No início do livro, a Gemma parece ser uma investigadora dedicada e disposta a terminar o seu doutoramento. No entanto, essa paixão não está bem desenvolvida no livro. Pelo contrário, fiquei com a impressão de que estava a ler um daqueles romances "cor-de-rosa" (cada um gosta do que gosta, mas não é mesmo a minha "onda"). Encontrei algumas personagens de um outro livro, mas agora completamente obcecadas por bebés e mais bebés, não conseguindo vislumbrar nelas nada de interessante! Depois de ter lido  "Jardim de Alfazema", fiquei verdadeiramente dececionada com a pobreza desta história.

sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Irmã (Sister)

Sinopse
"Quando Beatrice recebe um telefonema frenético a meio do almoço de domingo e lhe dizem que a sua irmã mais nova, Tess, desapareceu, apanha o primeiro avião de regresso a Londres. Mas quando conhece as circunstâncias que rodeiam o desaparecimento da irmã, apercebe-se, com surpresa, do pouco que sabe sobre a vida de Tess - e de que não está preparada para a terrível verdade que terá de enfrentar.
A Polícia, o noivo de Beatrice e até a própria mãe aceitam ter perdido Tess, mas Beatrice recusa-se a desistir e embarca numa perigosa viagem para descobrir a verdade, a qualquer custo."

Impressões
Sombrio! Deprimente! Viciante! Não aconselhável a quem esteja a atravessar um período negro. Muito bem escrito! Espetacular! No entanto, trata-se daquele tipo de livros que eu disse que iria evitar durante algum tempo, porque nos induz a uma disposição sombria. A (des)esperança, o muro das burocracias, a incompetência do Sistema (sempre e para sempre, a eterna falta de pessoal que impede que seja dada a devida atenção a cada caso) são retratos fiéis da (nossa) realidade!
A sério, não sei como é que a autora conseguiu escrever este livro e manter a sanidade mental! É verdadeiramente tortuoso!

quarta-feira, 14 de agosto de 2013

Por aqui: no rio!



Num dia de verão, passear de barco é sempre uma boa opção (desde que não sejamos nós a remar, eheh)! E como o sol pode ser inclemente em determinadas horas, vamos lá usar a imaginação, ou melhor ainda, um chapéu-de-sol, para nos protegermos!

sábado, 10 de agosto de 2013

Gritos do Passado (Predikanten): Outra opinião!

Bem sei que já foi publicado um post sobre este livro. Mas, no outro dia, a "Fantasilab" (também colaboradora deste blog), terminou a leitura do mesmo e aceitou o desafio de partilhar a sua opinião (Adoro a bolsinha da foto! Acreditam que é feita com um "individual"?)
Impressões:
A história não desilude, acompanha-se o desenrolar de uma investigação de homicídio, na pacata vila de Fjallbacka, levada a cabo por uma equipa policial habituada  a lidar apenas com bêbados e roubos de bicicleta. Muitas vão ser as dificuldades sentidas em descobrir a verdade, com muitas voltas e reviravoltas, apesar de todos os caminhos acabarem por ir dar sempre  à família Hult, que se encontra envolta numa auréola de fé, crendice, inveja e claro, dinheiro. Tive pena que a personagem da Erica tivesse perdido destaque, passando para um plano secundário, apesar das divertidas cenas com familiares e amigos incómodos, que aparecem em casa sem ser convidados, como se de um hotel se tratasse. Valeu por isso!! Quanto à relação dela com a irmã,  vítima de maus-tratos domésticos, achei um pouco desgastada e parada no tempo. 

sexta-feira, 9 de agosto de 2013

Bibliotecas de verão: Vamos divulgar estes espaços!

Regras para participar:
1) Ser seguidor (a) deste blog;
2) Divulgar o desafio no seu blog ou facebook;
3) Deixar um comentário neste post, com o seu nome e link de  onde fez a divulgação;
4) Enviar a foto de uma "biblioteca de verão" para o email do blog (doidaporlivross@gmail.com).
Atenção: A foto não pode ser retirada da net!!!

O desafio irá decorrer de 10 até 31 de Agosto!
Todas as fotos serão publicadas no blog, com a respetiva identificação.

Como livros (amigos) nunca são demais, será feito o sorteio do livro "O livro dos Perfumes Perdidos" (autora: M. J. Rose)! As participações serão numeradas por ordem de chegada.

Nota: No sorteio só podem participar moradores em Portugal continental ou nas ilhas.

Ficamos a aguardar!!!!!!

quarta-feira, 7 de agosto de 2013

Biblioteca de verão!


De manhãzinha ou no final do dia, esta esplanada da biblioteca está sempre a abarrotar. Aqui há de tudo: jornais, revistas, livros e jogos infantis. Depois de uma bela caminhada pelo parque, nada melhor do que descansar um bocadinho à sombra, enquanto se põe a par das notícias do dia e se troca impressões com os outros "clientes". Bela iniciativa! Boas leituras!

terça-feira, 6 de agosto de 2013

Filmes/Séries: A Gaiola Dourada


Que filme delicioso! Ri a valer com algumas cenas! O elenco foi muito bem escolhido e a história dá que pensar. Temos os estereótipos habituais: a Maria porteira e o Zé pedreiro, emigrantes portugueses que encontraram em França aquilo que o seu país lhes recusava. Temos também as alusões à gastronomia portuguesa, ao futebol e, claro está, o fado. 
Maria e Zé sempre sonharam regressar à pátria mas, quando finalmente a oportunidade se apresenta, descobrem que do desejo à realização desse mesmo desejo vai uma grande distância.  Nos trinta anos de França, integraram-se (tanto quanto possível) na sua comunidade, sentem-se indispensáveis e estabeleceram fortes laços afetivos com o país e as pessoas. Além disso, os seus filhos são franceses e não querem ir viver em Portugal. No entanto, tudo acabará por se resolver da melhor forma para todos. 
Tenho apenas dois comentários a fazer, que não têm nada a ver com o filme, mas sim com o cinema (?):
1) Meia hora de publicidade antes do filme é testar a paciência do público (ou depois do bilhete comprado já não interessa?);
2) Achei de muito mau gosto a cena de pseudo-comédia  que pretende fazer publicidade ao filme. Os estereótipos estão muito mal conseguidos e, na minha opinião, uma vergonha.

domingo, 4 de agosto de 2013

As atribulações de uma jovem executiva (Trixie Trader)

Sinopse
"Trixie Trader deve este nome, pelo qual se tornou conhecida no mundo da City londrina, aos bons velhos tempos de ascensão fulgurante no mundo dos negócios. Entretanto, o seu "fraco" pelas marcas caras, o champanhe, os almoços prolongados e as noitadas literalmente embriagantes, na companhia cúmplice da sua melhor amiga, Julie, e aquecidas por paixonetas sem consequências, estão a conduzi-la à ruína. Agora, possuidora de uma dívida com tendência a aumentar ao ritmo do buraco de ozono, a sua baixíssima produtividade não passa despercebida aos olhos argutos do gerente do banco onde trabalha. Trixie recebe um ultimato: em apenas seis semanas ela terá de conseguir fazer um negócio realmente chorudo! A alternativa passa pela porta de saída. Trixie sabe que não poderá contar senão consigo própria, além da Julie e do Bloodhound, os únicos amigos de sempre."

Impressões
Ri a valer com este livro! A história não é nada por aí além, mas o dia-a-dia da Trixie, sem dúvida que o é. Não é de admirar que, com o seu estilo de vida, esteja prestes a ser despedida... isso e o seu gosto pelo luxo, acompanhado pela sua insaciável sede de champanhe e outras coisitas que tais, estão a conduzi-la rapidamente a umas férias forçadas. Mas esta rapariga tem uma elevada auto-estima, pelo que não desiste facilmente dos seus objetivos. Gosto do seu sentido de humor politicamente incorreto, embora quase todos os colegas a detestem por causa disso. No entanto, este livro permite-nos vislumbrar o mundo (hipócrita) da City e dos financeiros.