">

domingo, 24 de fevereiro de 2013

O Rapaz de Olhos Azuis (Blueeyedboy)

Sinopse
"Ele conhece-a há uma eternidade e, contudo, ela nunca o viu. É como se fosse invisível para a mulher que ama. Mas ele vê-a a ela: o cabelo; a boca; o rosto pequeno e pálido; o casaco vermelho-vivo na neblina matinal, como algo saído de um conto de fadas.
Até agora, ele nunca se apaixonou. Assusta-o um pouco: a intensidade dessa emoção, a maneira como o rosto dela se intromete nos seus pensamentos, a maneira como os seus dedos traçam o nome dela, a maneira como tudo, de algum modo, conspira para que ela nunca lhe saia da cabeça...
Ela não sabe de nada, claro. Tem um ar muito inocente, com o seu casaco vermelho e o seu cesto. Mas por vezes os maus não se vestem de preto e por vezes uma menina perdida na floresta é bem capaz de fazer frente ao lobo mau..."

Impressões
Assustador! Arrepiante! Mesmo como eu gosto! Ao longo da história, nunca sabemos muito bem quem é quem, ou melhor, quando achamos que já deslindámos os mistérios.... ocorre outra reviravolta e lá temos que refazer todo o nosso raciocínio.
O "rapaz dos olhos azuis" vive, por assim dizer, uma existência virtual. Isto é, passa o seu tempo na internet onde, a cada nova entrada no seu webjournal, se reinventa. Ele conta, para uma plateia virtual, os seus crimes perfeitos e, ao mesmo tempo, vai deixando entrever determinados aspetos da sua vida. Mas não está só nesta forma de vida... a dada altura, começamos a ler também o webjournal de uma nova personagem que dá pelo nome de Albertine. Mas quem será esta Albertine e o que quererá do nosso rapaz? O final do livro é totalmente inesperado e com um toque psicótico, o que me deliciou! 

Um "cheirinho":
"Era uma vez uma viúva que tinha três filhos que se chamavam Preto, Castanho e Azul. Preto era o mais velho, mal-humorado e agressivo. Castanho era o do meio, tímido e desinteressante. Mas Azul era o preferido da mãe. E era um assassino."

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Mini Shopaholic

Sinopse
" Becky Brandon (née Bloomwood) thought motherhood would be a breeze and that having a daughter was a dream come true - a shopping friend for life! But it`s trickier than she thought - two-year-old Minnie has a quite different approach to shopping.
She can create  havoc everywhere from Harrods and Harvey Nicks to her own christening. She hires taxis at random, her favourite word is "Mine", and she`s even started bidding for designer bags on eBay.
On top of everything else, there`s a big financial crisis. People are having to cut back - including all of Becky`s personal shopping clients - and she and Luke are still living with Becky`s mum and dad. To cheer everyone up, Becky decides to throw a surprise birthday party - on a budget. But then things become really complicated."

Impressões
Desafio superado! Li 392 páginas em inglês! Confesso que, a dada altura, pensei em desistir mas, depois de ler as primeiras vinte páginas, entrei no ritmo e até acabei por me esquecer (mais ou menos) de que não estava a ler em português. Diverti-me com a história mas a Becky começa a irritar-me. Além de compradora compulsiva é também uma grande mentirosa! E, já agora, não parece ter qualquer problema em envolver os outros nos seus esquemas, desde que consiga levar "a água ao seu moinho". Desta vez, a nossa "viciada em compras" decide organizar uma festa surpresa para festejar o aniversário  do marido. O problema (um de muitos) é que a Becky tem grandes ideias e pouco dinheiro e esta combinação revela-se (quase) catastrófica! Tudo isto num clima de contenção económica... Para ajudar, a pequena Minie é uma verdadeira pestinha e arranja problemas (hilariantes) por onde passa. Enfim, gargalhada garantida!

sábado, 9 de fevereiro de 2013

As Histórias de Terror do Tio Montague (Uncle Montague`s Tales of Terror)

Sinopse
"Edgar não resiste às cativantes histórias de terror que o seu tio Montague lhe conta quando o vai visitar, do outro lado do bosque. Mas qual será a ligação do seu tio a estas histórias sinistras? Prepara-te para morreres de medo quando descobrires que o tio Montague é, afinal, o protagonista da história mais terrífica de todas. Um livro assustador .... Terás coragem para o ler?"

Impressões
É o livro adequado para quem gosta de um bom susto! Edgar é um rapaz solitário quando está em casa, já que os seus (estranhos) pais parecem não saber muito bem como conviver com ele e não tem amigos na aldeia. Assim, ele adora visitar o seu excêntrico tio, ou melhor, ele aguarda ansiosamente as histórias que este lhe irá contar. E assim, de história em história, lá vamos lendo o livro e, quando damos por isso, somos nós que estamos ansiosos por saber qual é o segredo do tio Montague e da sua (assombrada) casa . Bom para ler no dia das bruxas, ehehe...

sábado, 2 de fevereiro de 2013

Danças & Contradanças (Jigs & Reels)

Sinopse
" As sarcásticas histórias de Danças & Contradanças podem ser resumidas em duas palavras: malévolas e maliciosas. Como em muitos dos seus romances, Joanne Harris consegue combinar de uma forma única situações e personagens comuns - e até banais - com o extraordinário e o inesperado. Mais do que nunca, a autora dá largas à sua imaginação e apresenta-nos uma exuberante e prodigiosa caixa de Pandora que contém tudo o que é extravagante, estranho, misterioso e perverso. De bruxas suburbanas a velhinhas provocadoras, monstros envelhecidos, vencedores da lotaria suicidas, lobisomens, mulheres-golfinho e fabricantes de adereços eróticos, estas são vinte e duas histórias onde o fantástico anda de mãos dadas com o mundano, o amargo com o doce, e onde o belo, o grotesco, o sedutor e o perturbador estão sempre a um passo de distância."

Impressões
Quando não tenho muito tempo para ler mas não quero abdicar deste meu direito, dou preferência a livros de contos. Geralmente, dá para ler uma história por dia e não fico com aquela ansiedade para saber o que é que vai acontecer a seguir. Embora tenha gostado de todos, os meus favoritos são:"O Curso de 1981", "A pequena sereia" e "Nunca beijes um vampiro" (um bom conselho, digo eu). Neste livro (mais uma vez) a autora consegue combinar de forma espetacular todos aqueles ingredientes que transformam a história mais banal em algo que entusiasma o leitor. Adorei! Decerto que o voltarei a ler!

Um "cheirinho"...
" Quando escrevi o meu primeiro livro, The Evil Seed, impressionou-me o facto de a literatura de vampiros ser extremamente elitista. O cenário é sempre romântico. Os sugadores de sangue são invariavelmente atraentes, aristocráticos e elegantes. O que evidentemente levanta uma questão: onde estão os outros vampiros? Os vampiros simples e despretensiosos, os vampiros da classe operária, os vampiros com uma relações públicas incompetente?"