">

segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Irmãs (The sisters)

Mais um de leitura compulsiva. Cumpre na perfeição a sua função como thriller psicológico. Apesar da estória em si não constituir nenhuma novidade, está muito bem contada. Depois de ter lido o livro, o título adquiriu um significado diferente daquele que eu lhe tinha atribuído inicialmente. Ai que vontade de falar mesmo do livro. Acho que vou começar a colocar um alerta, para quem ainda não leu os livros.

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Vidas roubadas (Pretty baby)

Lido em menos de dois dias. Cativou-me desde o início. É de leitura compulsiva. O título em português foi muito bem escolhido (geralmente, isso não acontece) e, depois de ter lido o livro, percebi muito bem porquê. É uma estória chocante embora as situações relatadas aconteçam mesmo. Existem monstros, isso é um facto. É pena não haver caçadores de monstros. Deixa-nos a pensar como é que um conjunto de pessoas, com tão boas intenções, conseguiram fazer tanto mal.
O final é o possível para este tipo de estória. Leiam!

terça-feira, 23 de agosto de 2016

Ondas de calor (Heat wave)

Nem sei o que me deu para comprar este livro. Acompanhei a série televisiva desde o início e, sem exagero, adorei cada minuto. Ver esta série, acompanhada de uma guloseima, foi um ritual que segui durante muito tempo e, agora que acabou, sinto a falta desses momentos. O que me cativou não foram propriamente os enredos policiais, mas sim o sentido de humor e o carisma do ator que fez de Castle. Além disso, aquele grupo (detetives e família do Castle) via-se sempre metido em situações mirabolantes e hilariantes. Por isso, o livro foi uma grande deceção. Tudo na estória parece demasiado forçado e básico, até as tiradas humorísticas. Não me cativou nem um pouco.

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Verdade escondida (Don`t you cry)

Uma pessoa má desde a nascença, com uma maldade que prejudicava tudo e todos em seu redor, conduz a uma decisão drástica. Anos mais tarde, esta sombra retorna, agora com a manha e a dissimulação adquiridas ao longo dos anos. E, mais uma vez eu pergunto, o que é que fazemos com esta gente? Não acredito em reinserção ou reabilitação para estes casos (como tantos outros). As vidas deles não são mais importantes do que as das suas vítimas.

domingo, 21 de agosto de 2016

Numa floresta muito escura (In a dark, dark wood)

Numa floresta muito escura, alguém com uma mente ainda mais escura, encena um sinistro reencontro de "amigos". Claro que tudo vai acabar da pior maneira possível para a pessoa mais ingénua (?) do grupo. Manipulações maquiavélicas e amizades tóxicas só poderiam ter este final. Na verdade, esperava mais deste título, muito mais.

sábado, 20 de agosto de 2016

Delicious!

Sou muito gulosa, embora não seja comilona (de acordo com os meus critérios, ahahah) e, como tal, fui intervalando as deambulações pela bonita cidade de Braga com momentos gastronómicos (alguns exemplos, só para abrir o apetite).




 Os manjares seguintes são da minha autoria (fiquei inspirada pelo passeio).




sexta-feira, 19 de agosto de 2016

Bons momentos!

 Jardim de Santa Bárbara
 Descobri que gosto de nutella avelãs!

 Se não me engano, este monumento fica perto da Sé.
 Imaginação!
 Adoro andar nestes comboios!
 Gelado de tangerina. Delicioso!

 Gostava de ter uma destas bonecas, mas ...
 Cuidado com o dragão!
 Adorei a visita guiada a este teatro!
 Jardim botânico no Museu dos Biscainhos.
 "Puxadores" da porta do Theatro Circo.

 Casa dos Crivos
 Também acho! 









segunda-feira, 8 de agosto de 2016

O meu Oriente

Lido num dia de praia, intercalado com deliciosos banhos de mar. Descobri que gosto de livros sobre viagens (família e amigos registem isto... afinal, é quase Natal eheheh).
O texto e as fotografias cativaram-me e deram-me vontade de viajar, não obrigatoriamente para Bali ( apenas porque não tenho resistência física para aguentar temperaturas elevadas e longas viagens precárias em estradas esburacadas). No entanto, gostei de "conhecer" Bali, as suas gentes e os seus costumes, tudo relatado de forma despretensiosa. Escusado será dizer que pretendo confeccionar algumas das receitas apresentadas pela autora (vamos lá ver se consigo encontrar os ingredientes... aquele bolo de chocolate raw parece delicioso). A minha irmã, uma fervorosa praticante de ioga (eu faço alguns exercícios, mas sou muito indisciplinada) ficou fascinada com o Yoga Barn (bem, até eu fiquei, sobretudo por causa da gastronomia... sou tão gulosa!). 
Acima de tudo, penso que o livro é sobre superação, sobre vencermos os nossos receios e os dos outros e tentarmos melhorar as nossas vidas. Da minha parte, sei que podia/devia fazer mais por mim. Ter esta consciência já é um começo, um ponto de partida. Há muito trabalhinho a ser feito, eheheh.

Belas paisagens (suspiro)!






domingo, 7 de agosto de 2016

Um caso tipicamente inglês (A man of some repute)

E, mais uma vez, "meti-me" numa trilogia... só espero que os outros  dois volumes não levem muito tempo a serem publicados  em Portugal. Achei bastante refrescante esta leitura. O enredo faz lembrar os da Agatha Christie, escrito com a mesma dose de mistério, suspense, humor e elegância. É uma leitura agradável, que nos remete para o pós segunda guerra mundial, no meio rural inglês. As duas personagens principais, um oficial dos Serviços Secretos e a sua jovem irmã, passam uma temporada num castelo que, dizem os locais, está assombrado. Mas, afinal, os problemas são causados pelos vivos. Perdi-me um bocado na narrativa sobre política, espionagem e contra-espionagem desta década (fico  sempre baralhada). Gostei da descrição dos hábitos de vida dos habitantes do castelo e dos aldeões e, mais uma vez, fiquei estupefacta com o modo como cada um aceita o seu "lugar" na hierarquia social... embora, se notem os tais "ventos de mudança" nos mais jovens e esclarecidos.