quarta-feira, 4 de outubro de 2017

Ginasticar

Gosto bastante de fazer exercício físico. Gosto e preciso. Encontrei um ginásio, a preço amigável e que tem um bom leque de opções. E, talvez seja por isso que todas as aulas estão a abarrotar. De tal forma, que hoje me questionei se estarei a fazer mal à minha saúde, achando que estou a fazer bem. As aulas são em salas sem ventilação (não têm janelas e a porta está fechada), com ar condicionado (o que sabe bem, dado o calor que se tem feito sentir) e com lotação esgotada. E é este excesso de pessoas que me está a fazer muita confusão... ar viciado, espaço limitado e barulho ( o que aquelas mulheres guincham ... nunca vi nada assim). Ainda tenho a secreta esperança de que abram mais aulas ou de que este pessoal se vá distribuindo por outros horários. Entretanto, estou a adorar as aulas de pilates e de ioga (também estão cheias mas não lotadas e são silenciosas). Já o zumba e as outras ...
Ou então, eu é que sou esquisitinha e já não tenho paciência para uma data de coisas. Sim, também poderá ser isso.



domingo, 1 de outubro de 2017

Atualização


Tenho lido, mas não tenho tido vontade de fazer a atualização das leituras aqui no blog. Como sempre, o mês de setembro é muito complicado para mim, não tanto pela carga de trabalho mas por já não me identificar com o meu trabalho, ou melhor, com a forma como exigem que seja feito, mas isso é conversa para outra dissertação. 
Destes quatro livros, os meus favoritos são "A casa da morte" e o "Crime de Paragon Walk".  Os outros dois, "Gritos silenciosos" e "O som do silêncio", aborreceram-me de morte. Mas, como eu sempre disse, há o livro certo para a ocasião certa e, talvez não tenha sido este o caso. Já Patterson não me desiludiu. Apesar de achar o livro um bocado sensacionalista e de ter descoberto o criminoso facilmente, gostei do ritmo com que a ação se desenvolveu. 
"Crime de Paragon walk", faz parte da série "Crime à hora do chá" e surpreendeu-me pela positiva. Há muito que não lia uma estória policial tão bem escrita e sem recorrer a sensacionalismos desnecessários. Além disso, a ação decorre numa época em que os costumes eram diferentes (muito bem descritos pela autora), mas a natureza humana não. Gostei mesmo muito!

terça-feira, 19 de setembro de 2017

Doce tortura (Sweet Damage)

É uma estória fácil de seguir, com a dose certa de mistério, mas depois de lida, foi facilmente esquecida. No entanto, foi uma boa companhia durante algumas horas, na minha esplanada improvisada à beira-rio.


domingo, 3 de setembro de 2017

os olhos amarelos dos crocodilos ("les yeaux jaunes des crocodiles")

Comprei este livro porque adorei a capa. Eu sei, escolher um livro pela capa ... No entanto, até gostei da estória. Não é bem o meu género, mas lê-se muito bem, como se costuma dizer. As intrigas familiares são o fulcro da ação. Todas as personagens são um pouco disfuncionais, o que conduz a situações, por vezes, hilariantes. Gostei da personagem principal, embora a tenha achado um bocado parvalhona, de tão boazinha que é. Tenho o segundo livro e, assim que puder pretendo lê-lo. 

segunda-feira, 21 de agosto de 2017

Animais fofinhos em Valência (Espanha)

Durante as minhas férias em Valência, fui visitar o Bioparque, que é similar ao nosso zoo. Estava um dia com temperaturas superiores a 40º, o que me levou a pensar que não iria ver nenhum dos habitantes do Bioparque. Mas isso não aconteceu. Ficam aqui, algumas fotos dos bichinhos deste parque (os meus favoritos são as girafas... tão, mas tão queridas!).














terça-feira, 11 de julho de 2017

A experiência

Através da minha irmã, tomei conhecimento destes vídeos. Vale a pena ver, cada um tem uma duração de uns quinze minutos, não sendo saturantes e nem monótonos. A comunicadora, Flávia Melissa, apresenta a informação de forma cativante e com qualidade. Gostei e, por isso, deixo aqui a partilha.

domingo, 9 de julho de 2017

E este?

Este, também feito pela minha irmã, foi oferecido a uma pessoa que adora os patudinhos. Lindo, não é? 

sábado, 8 de julho de 2017

Lindo!

Mais uma peça feita pela sister. Falta limpar a cola, mas não resisti a colocar aqui as fotos. É um vaso de barro, com uma barra feita com pedacinhos de azulejo. A amarelo, temos a representação da mascote cá de casa. 


domingo, 2 de julho de 2017

Desaparecidos

Que seca de estória! Só não desisti, por uma questão de teimosia. São páginas e mais páginas a descreverem o estado mental da protagonista que, a propósito, não achei nada interessante. Pelo meio, aparecem outras personagens, mas não têm grande relevância. Trata-se de mais uma estória sobre relações abusivas, mas muito "dejá vu", não me cativou nem um pouco. Tanto alarido à volta do livro ...

quinta-feira, 29 de junho de 2017

Safari


Todos aqueles filmes antigos, passados em África, que vi nas tardes de domingo, deixaram-me com vontade de fazer um safari. Ler o livro "África minha" (no século passado eheheh) e ouvir os relatos de quem passou férias no Quénia, aguçou mais esta minha vontade.

Assim, este domingo foi dia de safari no Badoca Park. Gostei de tudo! Até tive direito a chuva, lama e poeira ahahaha. Os animais deambulam pelos seus vastos territórios (não é o mesmo que a savana africana, mas ...). Para segurança de todos, os tigres estão confinados a um recinto espaçoso, devidamente protegido. 










Gostei de tudo! Apesar de haver muitos visitantes, nunca tive aquela sensação de "ajuntamento", que tanto detesto.
Assisti à sessão de alimentação dos lémures e ao show das aves de rapina. Valeu a pena, pois aprendi um pouco mais sobre estas criaturinhas e, além disso, são tão fofinhos ... os lémures, claro. Durante todo o tempo que os observei, estiveram entretidos a fazer "gracinhas" e poses para as pessoas. 

É claro que, ainda havia a chamada "interação com os lémures", paga à parte, mas isso já estava fora do meu orçamento e também não achei, como observadora, que enriquecesse o meu conhecimento sobre estes pequenitos.

segunda-feira, 26 de junho de 2017

Muito bom!

 Gostei de tudo! Foram umas horas passadas em boa companhia e com comidinha deliciosa. Sou muito preguiçosa para cozinhar e nem sequer faço nada de especial. Por isso, admiro quem investe tanto na busca de novos sabores ou, melhor dizendo, na conjugação dos vários sabores e, claro está, cozinha com tanto esmero.

 O ceviche de quinoa e algas estava simplesmente genial.
 E os gelados, sobretudo o de chocolate com pepitas... mham mham...(este, quero tentar fazer em casa).
 Sorvete de frutos vermelhos (outro que vou experimentar).
 Bolo de banana e mirtilos (também vou fazer).
A gulosa que mora em mim, adorou tudo mas tem um especial carinho pelas sobremesas, ahahah.

sábado, 24 de junho de 2017

Escrito na água

Apesar de ter gostado, esperava mais. Na verdade, começo a ficar saturada destas personagens cheias de "macaquinhos no sótão", tornam a leitura muito entediante. Penso que a estória das "nadadoras" não foi suficientemente explorada. Além disso, descobri facilmente o que tinha acontecido, o que me retirou o prazer da descoberta. 
Este ano, mais uma vez, não fui à feira do livro. Em parte tive pena, pois queria muito explorar as várias banquinhas (de livros e comidinhas, ahahah). Mas a distância, o calor, a falta de tempo e o extremo cansaço, contribuíram para acompanhar o evento à distância (na medida do possível). Fica para o ano, quem sabe.

domingo, 18 de junho de 2017

Wayward Pines

Li esta trilogia num ápice. No ano passado, vi os últimos episódios da série com o mesmo nome. Aguardei que repetissem para ver se conseguia "apanhar o fio da meada". Entretanto, descobri que era baseada numa trilogia... vai daí... Basicamente, o que se passa é que  o Homem, na sua ambição cega e patética, destrói finalmente o planeta, evoluindo a nossa espécie para algo selvagem. Há um grupo que, recorrendo a técnicas de suspensão das funções vitais, "adormece" durante muito tempo e quando acorda .... agora têm mesmo que ler os livros, ahahah.

domingo, 28 de maio de 2017

Hoje foi dia

da caminhada "Pirilampo Mágico", organizada pela Cercima. Esteve uma manhã impecável para este tipo de atividade, nem chuvosa e nem muito quente. Lá andámos pelas velhas salinas, tendo como pano de fundo o rio e a ponte Vasco da Gama. Foi mais passeio do que caminhada, dado o tamanho do grupo e a sua heterogeneidade. Poderia ter sido mais interessante, tendo em conta a história local... o guia bem tentou, mas o público não colaborou. Tive pena, pois gosto de aprender e acho que é uma questão de respeito por quem está a trabalhar. 
De qualquer das formas, foi uma bela manhã ao ar livre.
Ficam aqui alguns registos fotográficos.
 Nuvens de tempestade.
 Antiga seca do bacalhau. Agora só restam os pilares...o bacalhau já era.



 Que lindinhos! O pequenito nasceu há dois dias. 

 Fiquei dececionada por não ter percorrido um destes trilhos. Tenho que voltar!

terça-feira, 16 de maio de 2017

Código do crime

Uma excelente série que dá na RTP 2. Só a descobri ontem e já vai a meio ou quase no final. Espero sinceramente que repitam todos os episódios, desde o início. Decorre no pós-guerra, por volta dos anos cinquenta e tem como protagonistas quatro mulheres, aparentemente banais, mas de intelecto brilhante. Durante a segunda guerra mundial, estas mulheres desempenharam papéis fulcrais na derrota dos nazis. Terminada a guerra, deixou de haver lugar para elas num mundo dominado pelos homens. Assim, têm que regressar às suas antigas rotinas e fingir que não podem ser mais do que secretárias, na melhor das hipóteses. No entanto, este faz-de-conta não serve para estas senhoras. E é assim que se dedicam a desvendar crimes, sempre com a maior discrição e nunca alardeando as suas extraordinárias capacidades.

segunda-feira, 15 de maio de 2017

So true

Todos os dias penso assim. O bom era manter esta atitude ao longo de todo o dia. Mas não consigo. Há pessoas e situações que  dão cabo de qualquer pessoa, por mais zen que seja. Tenho o (des)privilégio de vivenciar isto todos os dias, eheheh. Por isso, sou muito grata por tudo o que me faz bem. 

Esta imagem foi tirada do Pinterest e foi-me enviada pela minha irmã (gracias).

domingo, 14 de maio de 2017

E hoje foi assim

Fui fazer um workshop de snacks e piqueniques no Instituto Macrobiótico de Portugal. Fiquei com vontade de aprender mais. Ensinaram algumas receitas que quero reproduzir em casa. Outras, achei interessantes, mas muito complexas e de confecção morosa. Visitei a loja e fiquei chocada com os preços dos vários ingredientes. Seguir exclusivamente esta dieta deve ser dispendioso, eheheh. Bem, o que interessa, é que foram umas horas muito bem passadas e, no final, tivemos direito a degustar o que foi cozinhado. E estava tudo delicioso!
 Sala de refeições, aberta ao público. Gostei muito do esquema de cores e, sobretudo, do papel de parede.
 Pormenor da entrada.
 Amendoins com wasabi
 Sopa fria de pepino e hortelã
 Chá frio de maçã e limão
 Taboulé de arame com amendoim e muffin salgado com algas
 Quiche de alho-francês
Empada de maçã e quadrados de figo