">

quinta-feira, 31 de julho de 2014

Filmes/Séries: Banshee

Do pouco que vi, já percebi que se trata de uma série muito sangrenta e com uma linguagem pouco recomendável (não admira a bolinha encarnada no cantinho do écran). O xerife da terreola (Banshee) é um perito em artes marciais e ex-recluso (deve ter conseguido o cargo na polícia através de meios ilícitos) e comanda uma esquadra que só tem mais três agentes! Mesmo assim, acaba sempre por salvar o dia. É claro que temos alguns vilões, um ex-Amish com uma moral duvidosa (expulso da comunidade Amish local) e uma família de índios (há uma zona que é território índio e está sujeita às leis da tribo). Mas, o super-vilão é um gangster ucraniano que quer vingar-se do nosso xerife e da filha (do gangster), também perita em artes marciais e armas de fogo. Surpreendente mesmo é o facto de apanharem tanta porrada (desculpem o vernáculo) e na cena seguinte movimentarem-se como se não tivesse sido nada. Faz-me lembrar os filmes do Bruce Lee que eu costumava ver quando era miúda.

quarta-feira, 30 de julho de 2014

Viagens na minha Terra: Castelo de São Jorge

Ao tempo que queria revisitar o Castelo de São Jorge. Foi uma excelente ideia a construção do elevador (bem, na verdade são dois elevadores) que nos iça (ihihih) até ao topo da colina, mesmo às portas do castelo. É que a subida, desde o Terreiro do Paço, é bastante penosa, sobretudo se for feita no verão.
Verifiquei, com bastante satisfação, que o espaço está renovado e bastante apelativo para os turistas, embora considere que se podia fazer muito mais (é nos pequenos detalhes que reside a diferença). A paisagem que se avista a partir das ameias do castelo é simplesmente de tirar o fôlego... o Tejo é fabuloso! Não admira que os muitos  turistas, de várias nacionalidades, não parassem de tirar fotos. Dentro do próprio recinto, temos ainda algumas esplanadas onde podemos descansar um pouco e hidratar-nos... embora os preços sejam pensados no tamanho da bolsa dos ingleses, alemães, japoneses e outros e não no tamanho da bolsa dos portugueses.


Bom demais: Petit Gâteau


Palavras para quê, não é? Simplesmente delicioso! Desta vez, acompanhei com amoras, mas também já comi com natas, mirtilos, morangos ou então, como gosto mais, simples. Nada (ou quase nada) iguala o sabor do chocolate belga.

Filmes/Séries: Scandal

Recomendo esta série. Aliás, considero -a uma das melhores que tenho visto ultimamente. Olívia Pope trabalhou  com o presidente dos EUA. A sua (principal) função era gerir crises...  esconder do povinho as trafulhices  feitas pelos poderosos. Quando abandona a White House, Olívia continua com este tipo de trabalho, mas agora para o público em geral (quer dizer, para quem puder pagar os seus serviços). No entanto, continua a haver interação com o presidente e todos os outros sanguessugas, o que conduz a cenas de grande dramatismo. O que assusta, é o facto desta estória ser baseada no livro escrito por uma ex-acessora de imprensa da administração George Bush! Por isso, acredito piamente que cada episódio não seja mera fição. Não me esqueço do episódio em que o resgate de uns reféns fracassa e o presidente manda bombardear um alvo qualquer para apaziguar a opinião pública. 
Resumindo, mostra o mundo nojento dos corredores do poder e a forma abjeta como estes sacanas jogam com a nossa vida (mas sempre acautelando os seus próprios interesses, of course).

terça-feira, 29 de julho de 2014

Filmes/ Séries: Teen Wolf

No outro dia, estava a saltitar de canal em canal, na esperança de encontrar algo que me apetecesse ver. Embora tenha muitos canais, a verdade é que todos eles repetem as mesmas séries até à exaustão. Até eu,  fã de "Mentes criminosas" e de todos os CSI, já não tenho paciência para ver para milionésima vez a mesma coisa! E já agora, aproveito para dizer que há muita publicidade enganosa nestes "pacotes" que as várias empresas nos vendem... deviam ter mais respeito pelos clientes! 
Bem, voltando ao assunto... num desses saltos acrobáticos entre canais, aterrei numa série sobre lobisomens. A estória é fracota, nitidamente dirigida a um público adolescente, mas entretém e, até certo ponto, faz lembrar os filmes do Indiana Jones. 
E vocês, que séries gostam de ver?


segunda-feira, 28 de julho de 2014

A ilha dos espíritos (Fyrvaktaren)

"Os pais receavam que Nathalie se fosse aborrecer na ilha, uma vez que era filha única. Mas não precisavam de ter-se preocupado. Nathalie adorava estar ali. E não tinha estado sozinha. Mas isso não lhes podia ter contado."

Impressões
Li este livro num ápice. A estória é mesmo muito boa e capta a nossa atenção desde o início. Para quem tem acompanhado esta série, no último livro Patrik teve um piripaque mesmo no final da estória e... tive que aguardar quase um ano para saber o desfecho (grrr)! De qualquer das formas, a polícia desta pacata cidade continua a dar o seu melhor para solucionar os casos, cada vez mais intrincados, que lhes vão aparecendo. Desta vez, a tónica está na violência doméstica e eu diria que o descrito é um ótimo "abre-olhos" para muita gente. E dá que pensar, dá mesmo que pensar. Alguma coisa está a falhar na educação das mulheres (sobretudo). Melhor do que punir as bestas é fortalecer (educação, independência financeira, boa auto-estima) as eventuais vítimas. 

sexta-feira, 25 de julho de 2014

I`ve got your number

"I`ve lost it. :( The only thing in the world i wasn`t supposed to lose. My engagement ring. It`s been in Magnus`s family for three generations. And now, the very same day his parents are coming, i`ve lost it. The very same day. Do not hyperventilate, Poppy. Stay positive!! :)"

Impressões
Ufa! Consegui acabar o livro! Desafio superado! Comecei com um grande entusiasmo, mas lá para o meio comecei a vacilar. Acho que nem tão depressa me aventuro a ler outro livro em inglês, embora seja bom para "desenferrujar". 
Mais uma estória cheia de situações cómicas, com uma protagonista trapalhona mas simpática. Bom para combater o stress!
Já saiu a versão portuguesa e, curiosamente, a capa não tem tão boa qualidade e nem é tão gira (até a achei pirosa) e o livro é mais caro (claro, tem que se pagar a tradução, etc, etc... por isso, ler no idioma original só tem vantagens, eheheh).

quarta-feira, 23 de julho de 2014

Medo....

“Podem não acreditar. É natural que não acreditem. Até eu, mesmo agora, passado o choque inicial, tenho dificuldades em fazê-lo. Regressava a casa no final do dia, não digo que fosse muito tarde, mas as luzes da rua já estavam ligadas. A minha disposição combinava com o tempo, cinzenta, muito cinzenta, quase como se tivesse uma nuvem de tempestade a pairar por cima da cabeça. De repente, pareceu-me ouvir um lamento... ignorei, talvez fosse o vento ou até um animal selvagem no parque que fica do outro lado da estrada (bem, para dizer a verdade, os únicos animais selvagens que por lá vi, foram lagartixas e pássaros) ou então, a minha mente a ter um esgotamento. Preparava-me para continuar o meu caminho, quando o ouvi novamente, desta vez um pouco mais audível. Bem, querem lá ver que isto está assombrado, pensei eu. Podem troçar à vontade, mas experimentem passar numa rua escura, deserta, num dia de vento, perto de um parque, garanto-vos que qualquer pequeno ruído assume proporções tenebrosas. Para ajudar, o dito barulho parecia vir precisamente do parque. Boa, era mesmo do que  precisava para terminar o belo dia que tinha tido. Fantástico! E se eu ... ignorasse a situação? E se continuasse em frente, fazendo de conta que não se passava nada? E se estivesse uma criatura, mesmo ali a uns centímetros de mim, a precisar de ajuda? E se fosse tudo uma artimanha para assaltar os incautos? E se não fosse? E, enquanto a minha consciência se debatia com todos estes prós e contras... outro lamento, mais alto ainda. Muito bem, pensei, vamos lá investigar. Sem querer exagerar, afinal não sou nenhuma CSI, comecei a vasculhar os arbustos ali perto (vasculhar talvez seja um pouco de exagero... agitei os arbustos com o meu guarda-chuva e sempre mantendo uma distância segura). UHMMMMMMM!!!!!!!! Desta vez até saltei! Agora não dava para ignorar! A criatura tinha que estar por ali. Por isso mesmo, é que, apesar das minhas boas intenções, corri dali para fora ou, pelo menos, era essa a minha ideia. O que aconteceu foi que, com a atrapalhação (quem é que me pode censurar?) tropecei no guarda-chuva e estatelei-me no chão... ficando frente a frente com uns grandes qualquer coisa brancos! Pronto, caída no chão e à mercê de tal criatura, certamente um duende maligno, vi a minha vida a andar para trás. Desta não escapava, de certeza. UHMMMM!!!!! E a “criatura” revelou-se em todo o seu esplendor! De início, não percebi logo o que era, mas depois a minha única reação foi sentar-me no chão e rir como uma perdida. Ri tanto que as lágrimas escorriam pela minha cara e, pela primeira vez nessa noite, fiquei contente por a rua estar deserta. A pequena “criatura” era nem mais nem menos do que um saco plástico que estava preso na vegetação e que, com a ventania que estava, fazia aquele som muito parecido com um lamento.”

domingo, 6 de julho de 2014

Colheita!

Estes foram cultivados em vasos, num quintal perto de mim. Posso atestar que são deliciosos! 

quinta-feira, 3 de julho de 2014

My pet


A moranguinha (a primeira "casa" foi uma caixa de morangos) também tem as suas manias, como qualquer pet que se preze. Apropriou-se de uma toalha (deixei-a cair e quando dei por isso, já a madame estava confortavelmente instalada) e não a larga! É claro que terei que recorrer à violência física (ahahahah) para a recuperar. Além disso, esta gourmet, só degusta milho se este estiver polvilhado com vitaminas (próprias para canário). Que chique!

Book`s Jar

Um destes dias, uma das muitas pessoas a quem empresto livros (a minha irmã) presenteou-me com este bonito frasco. A ideia é que cada pessoa a quem empresto um livro, coloque uma moedinha lá dentro (também aceito rebuçados e chocolatinhos, embora não sejam aceites nas livrarias). Como não tenho coragem de pedir "uma moedinha", vou usá-lo como mealheiro só para este meu adorável e dispendioso vício.