domingo, 31 de janeiro de 2016

Longbourn, Amor e Coragem (Longbourn)

Gostei de ler, mais até do que do "Orgulho e Preconceito". Na verdade, esta é a estória escondida em "Orgulho e Preconceito". Aqui vemos o quotidiano da criadagem de uma grande casa ou, melhor dizendo, dos escravos... sim, porque embora recebessem uma (fraca) remuneração, as suas vidas acabavam por ser decididas pelos seus senhores. Fiquei cansada só de ler a quantidade de tarefas, bem pesadas, que as criadas tinham que fazer... o dia da barrela era uma coisa verdadeiramente infernal. E ainda se esperava que uma criada, que labutava das cinco da manhã até às onze da noite, estivesse muito agradecida pela oportunidade de o poder fazer! Os criados não eram vistos como pessoas, mas sim como mais uns animais de carga. Incrível como o bem-estar de poucos dependia do mal-estar de muitos. Incrível como aqueles cavalheiros e damas da sociedade, que nunca tinham tido um dia de trabalho na sua vida, tinham a arrogância de escravizar os seus criados... até mesmo aqueles mais humanos, como é o caso da família Bennet, não tinham sensibilidade suficiente para perceber o quão sacrificado era o seu pequeno contigente de criados. É por isso, que estou muito agradecida a todos aqueles, que com muito sacrifício pessoal e até a vida, lutaram para mudar este panorama.
Apesar de termos percorrido um longo (e sangrento) caminho desde então, não podemos baixar os braços... já nos usurparam alguns direitos laborais e, de mansinho, enquanto toda a gente está entretida com a guerrinha público vs privado, muitos mais nos irão tirar. 

domingo, 17 de janeiro de 2016

Indecisões...


Há alguns anos, comecei a ler a saga "Outlander" e gostei. De tal modo, que comprei dois livros em Portugal (agora acho que já há mais um traduzido) e os restantes mandei vir do Brasil (Livraria Cultura, de onde tirei a foto). Em 2014, o último livro (ver a foto) foi colocado à venda no Brasil (penso que só há o ebook) e em inglês. Estamos em 2016 e ainda não foi traduzido para português e talvez nem venha a sê-lo. Estou quase, quase a comprá-lo, mesmo em inglês, embora não seja fluente... esperar que o editem aqui em Portugal é uma miragem, talvez daqui por uns 10 anos... Por isso, é que gosto de só descobrir os autores quando já há, pelo menos, meia dúzia de livros editados por cá. Pelo menos, não fico "em pulgas" para ficar a saber o que vai acontecer a seguir. Bem, vou aguardar mais um pouco... ou não...

domingo, 10 de janeiro de 2016

Irrita-me tanto ...

... que os livros levem tanto tempo a ser editados no nosso idioma. Às vezes, compro em inglês, embora não seja fluente, mas o norueguês está muito além das minhas competências. Estou a falar de um livro policial que aguardo "há séculos". É verdade que não tenho muito tempo para ler por prazer... quando, finalmente, dou por encerrado o expediente, estou tão cansada, que não consigo compreender o significado do que leio, acabando por adormecer de exaustão. No entanto, gosto de saber que os livros estão ali, ao meu alcance, a postos para me resgatarem da insanidade do meu quotidiano.

segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

As gémeas do gelo (The ice twins)

 Lido num dia! Arrepiante! Um verdadeiro livro de suspense! Embora se trate de ficção, a estória aborda questões inquietantes, para as quais ainda não existem respostas satisfatórias. No entanto, não fazia ideia de que houvesse tantos estudos académicos sobre o comportamento dos gémeos idênticos. O autor misturou vários elementos e conseguiu a combinação perfeita, nunca caindo em situações suscetíveis de comprometer a integridade da estória. Além disso, à medida que a ação decorre, aquilo que pensamos ser verdade pode não passar de ilusão. Gosto disto, gosto de só descobrir o que aconteceu quando o autor o decide revelar e gosto ainda mais quando nem tudo tem uma explicação lógica.
Estou em "pulgas" para comentar o livro, mas não quero estragar a leitura a ninguém... por isso, só posso dizer que vale a pena. Escolham bem o momento para o ler porque não é o tipo de livro para ir lendo. Divirtam-se!!!!!
 No Natal, ofereceram-me este "adereço", feito numa impressora 3D, para facilitar as leituras, do ponto de vista mecânico. E não é que funciona? 

The Five Elements

"The five elements are a powerful door to our hidden nature. When we know how to balance the elements in our lives, we have the power to completely change our health and happiness. This is because they are the basics of all phenomena; we live within the elements and the elements live within us. (...) We also learn Tulku Lobsang´s powerful body practices for balancing the elements, including Lu Jong Tibetan Yoga andd Kum Nye massage. While we can immediately experience the benefits of balancing the elements in our bodies and minds, this path leads very deep. Working with the elements, we can completely purify our bodies and minds. We can come to know our true nature and find complete freedom in this world"


Este livro, apesar de estar em Inglês, tem uma linguagem simples e fácil de entender, tal como o princípio que lhe está subjacente. Se compreendemos que a natureza deve estar em equilíbrio para podermos contemplar todo o seu esplendor, porque não entendemos que connosco também deve ser assim?! Que o nosso verdadeiro potencial se esconde  debaixo de camadas e camadas de obstáculos, pressões e exigências que nos oprimem, sufocam, angustiam e deprimem... e que, convenhamos, aumentam exponencialmente a conta da farmácia.
Neste livro, somos apresentados à teoria dos 5 elementos (Espaço, Terra, Vento, Fogo e Água) e à forma como, através de movimentos simples do Lu Jong (Yoga Tibetano de Cura ), nos podemos fortalecer e tornar mais resistentes, física e psicologicamente, às agressões diárias. Bastam 10 minutos do nosso dia!!! Claro que, apesar de apresentar a explicação detalhada de cada exercício, bem como imagens passo-a-passo, não dispensa o acompanhamento de um professor numa aula. Por isso, toca a experimentar uma aula para começares a ver a diferença em ti próprio!!! Eu já vi!!

domingo, 3 de janeiro de 2016

A minha agenda, a minha agenda...

Presente de Natal, cá está ela!!!!!! Linda, lindinha! Agora, é só arranjar coisas interessantes para anotar e concretizar!!!!

sábado, 2 de janeiro de 2016

Ioga

Na última semana de 2015 comecei a fazer ioga todos os dias.
Só faço aquilo que se designa por "Movimentos dos cinco elementos", mas dá para aquecer, relaxar um bocado e começar o dia com boa disposição. Recomendo!
(Imagem tirada da internet)

Por acaso, todos os exercícios são feitos em pé... quem me dera ser capaz de me sentar como a pirralha da imagem.

Tenho estado ...

... a fazer pesquisa sobre alimentos que uma desdentada pode comer (quer-me cá parecer que, um dia destes, ainda vou atacar os boiões de papas da prima baby) e tenho (re)descoberto algumas delícias, sobretudo no que diz respeito a sumos (experimentem morangos com maçã).